sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Amor proibido - 6º Capítulo: Vidas Que Se Encontram

   Depois de terem saído da praça, Caco pediu carona a Thony, pois se sentia desprotegido ao ver que a sociedade não aceita aquele tipo de amor.
   Quando chegaram na porta da casa de Caco, se olharam como não houvesse acontecido nada naquele dia. O amor dominava novamente os dois. Não se preocuparam com o que aconteceria ou aconteceu... apenas se olharam como não existisse hipocrisia. Tudo era santo... tudo era puro. O amor dos dois era o mais lindo que se podia imaginar. Na rádio toca Make You Feel My Love... Adele cantava. Um cristal líquido saía do olho de Caco. Ele estava emocionado ao ver que Thony realmente era o amor de sua vida, e então o disse:
  —Thony, sabes que eu te amo incondicionalmente... apenas dois dias foram necessários para saber disso.... pode ser até precipitado, podes até não gostar da pergunta, mas mesmo assim, preciso saber...
   —Pode dizer.
   —Quer namorar comigo?
   —Ca... Ca... Ca... Caco! — Gaguejou Thony surpreso.
   —Ah! Sim... quer me conhecer mais tempo, não é?
  —Sim, mas quero te conhecer por todos os dias de nossa vida a dois. O que eu mais quero nesse momento é namorar com você...
  —Bom; fico feliz em saber que sou amado por ti... sabes que gosto muito de teu jeito, teu olhar... resumindo, gosto de você.
   —Não sei como seria minha vida se não tivesse te conhecido, Thony...
   —Eu sei: seria horrível! — Disse Thony gargalhando.
   —Na verdade, acho que seria mesmo. Estava começando a achar que não sou amado.
   —Mas agora é.
   —Sim... bastou um olhar. É... vamos entrar?
   —Sim, claro!
   Na casa de Caco, discutiram a tarde inteira sobre os estilos musicais que gostavam. Thony gostava de música clássica no estilo Philip Glass; já Caco preferia Adele, Lady Gaga, Madonna e outras cantoras de sucesso mundial. Mesmo assim, Thony e Caco ouviram as músicas que gostavam. Se abraçavam, sorriam, se olhavam, se sentiam. Uma energia positiva tomara conta daquele lugar... era o amor, Divino e ateu... amor como os outros.
   Já era noite... Thony tinha de ir embora, então se despediu de Caco:
   —Bom, Caco, tenho que ir.
   —Ah! Não vá... ainda é cedo.
   —Amanhã tenho que trabalhar.
   —Ai, ai... quem mandou eu me apaixonar por um empresário, hein?
   —Você não se apaixonou pelo empresário Thomas Nycon, e sim pelo Thony.
   —Pelos dois. Gosto de ti de todos os modos.
   —Até o Thomas, que não esquece o trabalho?
   —Sim, até ele... é um pacote, se ganho um, o outro vem de brinde.
   —Verdade! — Disse Thony sorrindo.
   —Amanhã você volta?
   —Sim, com certeza. Vou voltar todos os dias para te ver.
   —Isso é bom. Alegrará meus dias.
   Thony balançou a cabeça em sinal positivo e foi entrar no caro... quando abriu a porta, gritou:
   —Ah! Espere, Caco... estava me esquecendo de algo.
   —O quê?
   No mesmo momento, Thony abraçou Caco e o beijou. Caco apoiou seu braço nos ombros de Thony, e também o beijou lentamente. Depois desse longo beijo, Caco disse a Thony:
   —Você já amou alguém no passado?
   —Vamos nos esquecer do passado... O melhor dia da vida é hoje. Se quiseres me amar, farei de sua vida um eterno hoje...
   —Tá vendo como você é poético?
   —Não sou não... apenas digo o que o peito diz.
   —Exatamente isso que um escritor faz.
   —Ah! Tanto faz... mas eu não sou... não nasci com esse dom.
   —Tudo bem. Te espero amanhã, okay?
   —Sim, pode esperar.
   Thony acenou a mão freneticamente para Caco afim de dizer até mais; entrou no carro, e foi para casa.


Quer saber o que vai acontecer na vida desses dois apaixonados? Acompanhe o próximo capítulo de
Amor proibido

NÃO PERCA

Sua Opinião:

0 comentários:

Enviar um comentário